Sintomas e manifestação

A disfunção erétil orgânica pode ocorrer com distúrbios endócrinos ou níveis mais baixos de testosterona, e várias doenças ou distúrbios urológicos que são responsáveis ​​por isso, os receptores no cérebro podem afetar sua manifestação. Os efeitos de certas doenças, como prostatite ou câncer de próstata, também podem ser afetados. Geralmente este tipo de disfunção erétil aparece gradualmente e seus primeiros sinais são dificilmente perceptíveis. Ele acontece o tempo todo, e eventualmente progride . Neste caso, não há ereção noturna ou matinal e, durante o intercurso, pode desaparecer subitamente. Ao mesmo tempo, o desejo sexual e a ejaculação permanecem normais. A disfunção erétil venosa ocorre em caso de violação do mecanismo de regulação do fluxo sanguíneo dos tecidos do pênis. Também pode ocorrer com distúrbios arteriais e vasculares. O chamado distúrbio da microcirculação. A causa deste tipo de disfunção erétil pode ser hipertensão, tabagismo, etc.

Uma das primeiras manifestações clínicas da impotência pode ser a ejaculação precoce (isto é, liberação descontrolada e inoportuna do fluido seminal antes da relação sexual ou logo no início). Na maioria das vezes está associado à patologia vascular. Também um sinal de função erétil é uma diminuição na freqüência de ereção e uma diminuição na rigidez, que é freqüentemente associada com patologia neurogênica, vascular ou hormonal e menos freqüentemente com transtornos psicogênicos. A manifestação mais grave da disfunção erétil é a falta de ereção. Em casos de falta de ereção apenas adequada, mantendo uma razão espontânea (manhã, noite), provavelmente, de natureza neuropsicogênica. Na ausência de ambos os tipos de ereção, deve-se suspeitar de patologia orgânica.